1 de agosto de 2010

Adeus Chapéu de Sol

          Chapéu de Sol ou Pé de Cuca seja lá como é conhecida essa árvore de grande utilidade, pois nos dias ensolarados ela nos proporcionava uma deliciosa sombra que acabava se transformando num ponto de encontro para as pessoas baterem aquele papo, sem falar no fruto também conhecido como cuca, que além de ter a casca comestível também se pode comer a noz. Essas linhas iniciais só foram para ilustrar a informação que o majestoso “Chapéu de Sol” que havia próximo a minha residência na Rua 7 de Setembro entre as Ruas São João e Monte Castelo no Bairro da Vila Nova em Cubatão teve que ser derrubado, pois as suas imensas raízes já estavam ameaçando a estrutura da casa que fica no terreno onde se localizava o gigantesco Chapéu de Sol, o que foi motivo de tristeza pra muitos, mas ao mesmo tempo de alívio pelo risco que ele oferecia ao imóvel, a imensa quantidade de folhas que ele espalhava indo parar na sarjeta e por muitas vezes entupindo o bueiro e também das frutas que amadureciam e caíam de uma hora pra outra atingindo os veículos parados assim como os transeuntes.
                 Esse gigante, pois média tranquilamente de 5 a 6 m de altura, merece todas as homenagens possíveis pois dava um charme a mais à quadra, sendo que a sua sombra chegava a passar até o outro lado da rua, transformando a frente da casa do finado Seu Romeu o local preferido para os motoristas estacionarem os seus veículos. A operação exigiu o uso de um caminhão com plataforma elevatória daqueles que são utilizados pelos funcionários da Companhia de Trânsito quando têm que arrumar os semáforos, pois se tratava de uma árvore bem alta como já frisamos. Toda essa operação atraiu vários curiosos, principalmente pelo barulho da motoserra, inclusive eu que sou metido à ambientalista, mas que não pude fazer nada pra salvar o majestoso Chapéu de Sol, que pra piorar fiquei sabendo que houve reclamação por escrito ao órgão competente da Prefeitura, de um dos vizinhos de que a árvore estava sujando o seu quintal com as suas folhas. Soube também através da minha irmã que é mais bem relacionada com a vizinhança que eu, que o Chapéu de Sol havia sido plantado pela já falecida esposa Seu Romeu, o que deve ter aumentado mais ainda o pesar dos filhos que tiveram que tomar essa triste mais acertada decisão. Lembro-me que na minha infância já morei em casas com majestosas árvores, aliás morei numa onde havia também um Chapéu de Sol na Rua Dom Pedro I (Rua 3) e que também teve que ser derrubado. Embaixo a esse Chapéu de Sol se reuniauma turma de amigos que mais tarde ficara conhecida como “R-3” e até hoje os mais novos mantém esse nome, principalmente através do time de futebol. Salvem os Chapéis de Sol, pois Natureza é vida.

2 comentários:

  1. Alguém que mora em Cubatão reclama de abençoadas folhas que caem de uma árvore magnífica?
    Existem métodos de poda para contenção de raízes ameaçadoras, mas quem se dá ao trabalho?
    As pessoas realmente merecem o mundo que estão criando, assim como merecerão plenamente o destino que as aguarda.

    ResponderExcluir
  2. Juno tienes tueda razon mi gran amico viva zapata !

    ResponderExcluir