23 de agosto de 2011

Bancada petista rejeita projeto sobre aumento de vagas do legislativo e decisão passa para o TRE

             A votação a respeito do projeto de lei de autoria da mesa da câmara que modifica o total de cadeiras do Legislativo Cubatense terminou com 7 votos a favor e 4 contrários, todos da bancada do PT, sendo que o mínimo necessário para aprovar o projeto era de 8 votos. A decisão agora fica a cargo do Tribunal Regional Eleitoral, contrariando o desejo da maioria dos presentes na sessão da câmara de hoje (23/08) que torciam para que fosse aprovada a mudança para 17 vagas, aumentando as chances dos futuros candidatos. Houve tumulto e a sessão teve que ser interrompida várias vezes e dentre os vereadores mais pressionados pelo público presente estavam Bila e Paulo Tito, mas no fim, apesar da revolta, o projeto foi rejeitado sem maiores consequências..

21 de agosto de 2011

A Segurança posta em xeque

            A morte da juíza da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo no Rio de Janeiro, Patrícia Acioli no último dia 11, deixou atordoado  todos os segmentos da sociedade, pois a magistrada estava responsável pelo julgamento de policiais acusados de matarem alegando legítima defesa. A notícia da morte da juíza causou uma sensação de abandono na população que já considerava a Segurança Pública ineficiente para combater o chamado crime organizado, pois o crime ocorreu num estado como o do Rio de Janeiro, um dos mais importantes da nação. Fica a expectativa de como irá agir o juiz que herdou as ações contras os PMs  que eram de responsabilidade  da vítima, sem contar que informações recentes mostram que houve negligência quanto a segurança de Acioli, que possuía apenas um policial fazendo a sua segurança. A grande questão que paira sobre a mente do cidadão comum é: até onde vai a violência, pois não conseguem proteger uma autoridade como uma juíza, o que dirá do restante da população¿

7 de agosto de 2011

Por uma 9 de Abril mais bela

                Sempre defendi que o projeto “Cubatão Mais Bela” deveria começar pela Avenida 9 de Abril, por ser a principal via da cidade. Passados 2 anos e 6 meses do início da nova administração resolvem começar a obra, ou parte dela, pois segundo informações ela só irá da Ponte do Arco Íris até o trecho que termina na Estação das Artes. Na minha opinião ela deveria ser reformada por inteiro, e eu acrescentaria mais um adendo, que o seu trecho que passou a ser chamado de Tancredo Neves voltasse a ser 9 de Abril, assim como a Avenida Bandeirantes que margeia a Vila dos Pescadores, que é mais antiga que a 9 de Abril, dando assim uma extensão maior a principal avenida da cidade.
                Uma Avenida 9 de Abril mais bela, e por quê não dizer mais útil, o que incluiria também um ciclovia no canteiro central quê para muitos colocaria em risco a vida dos ciclistas, principalmente os mais imprudentes. Reformar a principal via da cidade implica num verdadeiro problema para o trânsito e para quem mora no entorno da avenida, pois é inevitável ter que mudar o fluxo de veículos para outras vias paralelas causando transtornos aos moradores e até danos aos imóveis, por conta do trânsito pesado que passaria a circular por ali. Como não é uma obra que creio que não seja tão demorada, eu acredito que valha a pena suportar, em troca de uma melhoria na principal via da cidade, obra que já foi tentada antes e deu no que deu. Por uma 9 de Abril mais bela, que venham os congestionamentos!



3 de agosto de 2011

Deputado propõe seguro de vida de 545 mil para jornalistas

               A Câmara Federal analisa o Projeto de Lei 239/11, do deputado Sandes Júnior (PP-GO), que obriga as empresas jornalísticas a contratar seguro de vida, com cobertura relativa a riscos de morte e invalidez, para jornalistas profissionais transferidos para áreas de conflito. A proposta prevê apólice de, no mínimo, mil salários mínimos (atualmente, R$ 545 mil) para assegurar ajuda financeira aos familiares em caso de acidente. O texto é idêntico aos PLs 5177/05, do ex-deputado Celso Russomanno; e 6078/02, do ex-deputado Wigberto Tartuce. Aprovadas pela Comissão de Seguridade Social e Família, as propostas foram arquivadas ao final das respectivas legislaturas. Sandes Júnior argumenta que a transferência de profissionais para outros países é uma exigência no mundo globalizado. “É cada vez mais freqüente a necessidade de enviar jornalistas para outras localidades, a fim de possibilitar uma cobertura em tempo real”. Ele acrescenta que, muitas vezes, esses trabalhadores enfrentam situações de perigo e violência, no esforço por adquirir as melhores informações de maneira mais rápida.

A proposta altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT - Decreto-Lei 5.452/43).

Tramitação

               O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Em alguns Estados, como no Ceará, os jornalistas de veículos impressos e de mídia eletrônica já têm assegurado o seguro de vida em suas respectivas Convenções Coletivas de Trabalho (CCTs). Em caso de acidentes de trabalho que resultarem em morte ou invalidez permanente, os empregados de jornais e revistas do Estado têm direito a um valor mínimo de R$ R$ 33.015,57. Para os jornalistas de rádio e TV, o valor mínimo do seguro é de R$ R$ 42.799,77. “O Sindjorce apoia o projeto do deputado Sandes Júnior, bem como todas as iniciativas parlamentares que objetivem a segurança dos trabalhadores no exercício da profissão e de suas famílias”, afirmou a presidente em exercício da entidade cearense, Samira de Castro.

Fonte: http://www.ojornalista.com.br/